Por que a previdência privada é um excelente investimento a longo prazo!

Ela funciona como uma opção de renda extra e pode ser escolhida de acordo com a necessidade do contribuinte. Confira as vantagens desse investimento!

Para termos um futuro seguro e uma aposentadoria mais tranquila precisamos começar a poupar o nosso dinheiro desde cedo, filtrando os gastos e estabelecendo prioridades em nossa saúde financeira. E para nos ajudar, existem algumas aplicações que fazem o nosso dinheiro render conforme o passar dos anos e o valor aplicado.

Um desses investimentos é a previdência privada, também conhecida como complementar. Essa é uma aplicação a longo prazo que pode ser considerada como uma opção complementar à disposição do trabalhador.

Apesar de não ter união com o sistema do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), ela não deixa de ser fiscalizada por um órgão federal: a Superintendência de Seguros Privados, então existem regras estabelecidas para obter este plano, o que oferece segurança e credibilidade.

Neste artigo, vamos entender melhor sobre este assunto e detalhar porque é uma boa opção escolher este tipo de aplicação.

Como funciona a previdência privada?

Essa previdência dá a possibilidade de escolher o valor, o período e a contribuição que será feita, mas deixando claro que a quantia que receberá será proporcional ao valor depositado ao longo dos anos.

Administrada por corretoras ou instituições financeiras, se torna uma fonte de renda não somente focada em aposentadoria, mas como pagar a faculdade dos filhos, realizar uma viagem ou abrir um negócio.

Além disso, outra vantagem deste plano é que a quantia pode ser sacada quando o contribuinte quiser, caso queira desistir do investimento.

É necessário muita atenção sobre a maneira de cobrança de impostos sobre o subsídio, que pode ser feita de duas maneiras: 

A primeira é a tabela regressiva, simplificando o resgate do dinheiro uma vez e a segunda opção é tabela progressiva, onde o contribuinte recebe em parcelas mensais.

Os institutos oferecem modelos do investimento que podem ser somente fechados, restritos somente aos funcionários de uma empresa ou, no caso da previdência, por se tratar de algo individual, os planos abertos têm a necessidade de estarem disponíveis de qualquer interessado, que são eles:

Plano Gerador de Benefício Livre 

É para contribuintes com renda mais alta e o valor pode ser abatido no IR. Precisa ter uma renda bruta anual de até 12% e quando o dinheiro é sacado, será descontado o imposto.

Vida Gerador de Benefício Livre

Indicado para pessoas com renda menor e que não pode ser descontado no IR, mas quando a quantia é resgatada, o imposto cobrado é referente ao dinheiro investido que rendeu.

Bancos, instituições financeiras e corretoras são organizações que, por se tratar de empresas com fins lucrativos, cobram taxas para os contribuintes conforme o plano escolhido. Conheça as taxas que são obrigatoriamente cobradas:

Taxa de administração

Cobre os custos de administrar o dinheiro, sendo cobrados anualmente juros sobre o valor total.

Taxa de carregamento

Recai sobre cada dinheiro depositado realizado, normalmente não ultrapassa 5%.

Taxa de resgate

Tarifa cobrada pela instituição financeira no dia do resgate que é estipulado no dia da assinatura do contrato.

Vantagens da previdência privada

Com a dúvida sobre qual investimento compensa mais para o futuro, podemos rever os benefícios que podem ajudar a entender melhor sobre esta aplicação que pode solucionar o futuro da sua vida financeira.

  • É considerado muito seguro, oferecendo menor risco de perdas.
  • Ajuda o contribuinte a ter uma educação financeira.
  • Este plano não entra em inventários, em caso de morte, os familiares recebem. 
  • Os rendimentos deste investimento são maiores que a inflação.
  • A rentabilidade é maior que a conta poupança. 
  • Oferece vários tipos de saques. 
  • Reduz o IR em até 12%.
  • Pode trocar de instituição sem perder o IR.

Existem condições para investir na previdência privada?

Não tem um requisito específico para começar. Precisa se comunicar com bancos e instituições financeiras para ver qual solução é melhor com a sua necessidade.

Chegou a hora do saque, como funciona?

Existem três maneiras de fazer a retirada do dinheiro:

Recebimento mensal temporário – Permite que você tenha uma renda fixa, durante alguns anos. O recebimento é cessado somente em caso de morte.

Mensal vitalício – É uma remuneração mensal garantida até o fim da vida. Com o falecimento, o serviço também é interrompido e o saldo pode ser redirecionado para outra pessoa indicada no contrato.

Saque do valor integral – Remição em uma parcela única determinado no contrato com desconto no IR.

Resgate antes do tempo – Perde rendimentos e tem dedução de taxas e impostos. Precisa verificar a taxa de retirada. Dependendo da instituição que estiver a quantia, eles podem estipular períodos para os saques.

Porque vale a pena investir na previdência privada?

Realizar um investimento na previdência privada é uma excelente opção, pois apesar das taxas, que podem variar com os bancos ou associações financeiras, é um grande progresso ter uma oportunidade de renda extra além da aposentadoria para o futuro. 

Ter o controle do valor que é depositado, saber que rende mais que a conta poupança e ainda ter o apoio no assunto de educação financeira, considerado privilégio aqueles que têm esse conhecimento atualmente, pode ser a junção de soluções que não conseguimos encontrar em outros investimentos.

Com as outras aplicações, é necessário esperar o tempo determinado que assinou em contrato, para ter acesso a quantia, por isso muitos se arrependem de não terem escolhido a previdência privada.

Segundo a Lei Complementar Nº 109 de 29 de maio de 2001, a contratação deste plano é facultativa, ou seja, ninguém é obrigado a adquirir este investimento. 

Por isso, é necessário investigar qual melhor banco ou instituição tem juros que não vão atrapalhar na renda, a necessidade deste investimento, ver as taxas do mercado e encontrar a melhor opção para a sua realidade financeira.