Pneus calibrados, economizam combustível e ampliam a vida útil deles.

Pneus calibrados, economizam combustível e ampliam a vida útil deles.

A nova geração de pneus para veículos automotores, pode alcançar a incrível marca de 200 mil quilômetros rodados, para ser necessário uma troca, isto se bem utilizados dentro das especificações do fabricante.

Acabei pesquisando um conteúdo especial para a redação do post de hoje, sobre quem e quando iniciou a fabricação de pneus automotivos no Brasil, e obtive uma data e um nome do primeiro fabricante de pneus totalmente nacional. Não foi bem um ano específico que encontrei, mas um período onde a fábrica foi instalada, que foi o período de 1938 a 1942, o nome da empresa seria Pneus Brasil.

A instalação da fábrica partiu de uma iniciativa governamental de melhorias nas estradas brasileiras, como por exemplo a pavimentação de rodovias. Um plano de melhorar a circulação de produtos e serviços pelo território nacional, conhecido como “plano geral de viação nacional” pelas mãos do ministro dos transportes na época, José Silvestre Rebelo.

Com o investimento governamental, incentivou o setor privado a fazer investimentos para atender a previsível demanda por pneus entre outros itens para agilizar o transporte de cargas e pessoas. Rebelo, foi o avô das rodovias brasileiras, que ligou todas as regiões costeiras pelas rodovias.

Com o avanço das obras, outras empresas nacionais e internacionais se instalaram no Brasil e iniciaram a produção de pneus de diferentes tipos e propósitos, ativando a economia nacional e gerando milhares de empregos. Daquele tempo para cá muita tecnologia em pneus foi desenvolvida, sendo um dos itens essenciais no transporte de cargas incluindo transporte de veículos e da safra nacional de grãos.

A tecnologia dos pneus, economiza combustível.

Um dos requisitos básicos do funcionamento de um pneu, é se obter atrito, para segurar o veículo nas curvas, aclives e declives das estradas, também é responsável por proporcionar frenagem e aceleração do veículo, estando relacionado diretamente ao consumo de combustível por quilômetro rodado.

Mas mesmo os pneus mais modernos do mercado, precisam sofrer uma manutenção quase que diária, dependendo do tipo e uso do pneu, para se obter a sua performance máxima. Esta manutenção está relacionada a correta calibragem dos pneus, incluindo verificações semestrais de sua geometria em contato com o solo. O famoso “alinhamento”.

A calibragem é a correta aplicação de pressão ar nos pneus, para manter-se o item em condições de uso, indicada pelo fabricante. É importante verificar esta calibragem em longos trechos de uso, pneus quentes se expandem aumentando sua calibragem, sendo o oposto também óbvio, pneus frios possuem uma calibragem menor.

Deve-se levar em consideração estes fatores para escolher a correta medida da calibragem dos pneus no início da operação do dia, sempre confira as especificações de cada fabricante e para tipo de pneu.

Um pneu com sua geometria em dia, calibrado corretamente, e utilizado por um motorista treinado, sem aplicação de acelerações ou frenagens bruscas durante a sua utilização, obtém-se o máximo de performance deste equipamento, gerando economia de combustível da ordem de até 20%.

Esta medida de economia, é a peça central que diferencia motoristas bons dos excelentes, e faz uma empresa transportadora vencer a concorrência mantendo-se no mercado, como no caso das empresas de mudanças df, o serviço de transporte de cargas mais eficiente acaba sendo um diferencial importante na concorrência, fechando mais negócios por conta de um custo por quilômetro rodado menor. 

No tema de hoje estou focado na questão dos pneus relacionados com custos de transportes, mas para conhecimento do leitor, existem muitos outros fatores que influenciam, como citado anteriormente, um dos vilões do consumo é em como se guia um veículo, é a qualidade do motorista que impacta nos custos do frete.

Motoristas de caminhões mais preparados acabam sendo mais eficientes, como pode ser observado na pesquisa de qualidade interna publicada no site para transportadora, testes comprovam que motoristas que entendem mais como o peso do seu pé afeta os custos do frete, são os mais disputados e mantêm-se empregados por mais tempo.

Qual é a durabilidade de um pneu?

Como analisado até agora, não é possível determinar com exatidão a durabilidade em quilômetros rodados de um pneu, seja ele utilizado em veículos leves, ou pesados, como no caso dos utilizados em caminhões ou tratores.

Quem irá impactar com mais força nesta estimada durabilidade é o motorista em conjunto com atitudes de manutenção preventiva, um veículo com questões em aberto em seu sistema de controle e direção, também abrevia, em muito, a vida útil dos pneus.

Toda a indústria relacionada aos pneus, vem se mobilizando em conjunto para recolher pneus que atingiram a sua vida útil, a sua carcaça possui valor e pode ser recuperada na sua totalidade, mas este processo de reciclagem se mostrou mais eficiente após anos publicação de imagens na mídia, associando o descarte incorreto de pneus usados com a questão do lixo e da poluição da natureza.

A imagem de abandono de carcaças de pneus ao longo das vias ou em terrenos baldios acabou arruinando a imagem dos fabricantes, que se organizaram em torno da questão do recolhimento e reciclagem dos pneus usados. Para sorte de todos nós e para o bem da natureza.

Um pneu reciclado dura mais ou menos?

Podemos concluir o seguinte com o texto de hoje, um pneu dura na medida da educação do motorista que o utiliza. A qualidade e tecnologia aplicada nos pneus é muito avançada, e existe pouca diferença de qualidade entre os fabricantes, o governo está impondo severas restrições de quanto um pneu deve resistir, justamente pela questão do lixo que gera.

O que infelizmente o governo ainda não enfrentou é a questão que mais pesa no custo ambiental, que é a educação de motoristas, é a qualidade do motorista que afeta o volume de lixo pelo descarte dos pneus.

Um pneu reciclado é um pneu, vamos reduzir o preconceito, a sua reciclagem segue todas as normas de fabricação de um pneu novo, um pneu reciclado não é em nada superior ou inferior a qualquer outro. Como bem descrito anteriormente, o fator que mais afeta a duração do pneu, não é a sua estrutura, mas em como ele é utilizado.

Logo, é correto afirmar que um pneu reciclado dura o mesmo que um pneu novo, com a vantagem adicional de ser um pouco mais barato.

Aproveite hoje para pensar sobre os seus hábitos de direção, pequenas mudanças podem fazer muita diferença na vida útil dos pneus do seu veículo e no consumo de combustível, salvando primeiramente o bolso e na sequência salvando a natureza.

Ronaldo Luis Gonçalves

Pai, Marido, Escritor, Engenheiro de Software, Empreendedor Digital atuando no mercado de marketing, é também redator de diversos sites na internet.